Home Perguntas do Internauta Ressurreição da Carne
Ressurreição da Carne PDF Imprimir E-mail
Perguntas do Internauta
Dom, 24 de Maio de 2009 22:09


 Que significam as palavras do Credo que dizem: “Creio na ressurreição da carne”? (Antônio Moreira) 

            Primeiramente é necessário compreender o significado da palavra “carne” no Antigo Testamento. Aí aparece o termo “basar” (= carne), que originalmente significa o corpo inteiro, bem como a pessoa toda. Para a Escritura, carne é o homem total e vivo, apesar de sua debilidade (cf. Gn 6,3) e de seu pecado (cf. Sl 65,3s). O importante é deixar claro que, no pensamento bíblico, o homem não tem carne: ele é carne. Sendo ela uma dimensão do ser humano, pode designar o homem todo inteiro, de modo que minha carne significa meu eu e nunca uma parte de mim. Fica, portanto, claro, que quando a Escritura fala em carne, não está falando de uma parte do homem, mas do homem todo, enquanto criatura débil e perecível.

            Assim, por exemplo, quando a Escritura diz: “Chegou o fim de toda carne (Gn 6,13), está querendo dizer que chegou o fim de todo homem, de toda a humanidade. O mesmo quando diz: “Toda carne bendiga o seu santo nome” (Sl 145,21), ou ainda: “A glória do Senhor há de revelar-se e toda carne, de uma vez, o verá” (Is 40,5). Em todas estas passagens “carne” é o homem todo e nunca uma parte do homem! Ainda um exemplo: “Toda carne é erva e toda a sua graça como a flor do campo” (Is 40,6). Esta afirmação quer dizer que todo homem é frágil, é como a erva.

            Podemos, então compreender que quando o Credo diz “Creio na ressurreição da carne”, está dizendo: creio na ressurreição do homem frágil”. A Escritura ensina que o homem, por si mesmo não poderia ser imortal nem feliz eternamente. É Deus que, no seu amor, vai nos ressuscitar, como ressuscitou o seu Filho Jesus, feito homem como nós! O Senhor ressuscitar-nos-á com todo o nosso ser, corpo e alma. Notemos que o Credo não diz: “creio na ressurreição do corpo”, mas “creio na ressurreição da carne” ou - aquele Credo mais longo, o Niceno-constantinopolitano -“espero a ressurreição dos mortos”, sem distinguir corpo e alma. Portanto, tanto faz dizer: “creio na ressurreição da carne”, como “creio na ressurreição dos mortos”, ou “creio na ressurreição do homem”... do homem inteiro, corpo e alma.

            A Sagrada Escritura jamais pensa que o homem é formado por partes: uma espiritual e outra material. Este modo de pensar o homem em duas partes é grego e, de modo geral, da cultura indo-européias, que é completamente pagã. No pensamento bíblico o homem é um todo com várias dimensões, vários aspectos, mas não partes. Assim, eu sou meu corpo, eu sou minha alma... e é todo o meu ser que ressuscitará e estará para sempre com o Senhor.

            Daí o absurdo e a ignorância bíblica de quem crê na doutrina da reencarnação. Quem acredita nesta bobagem supersticiosa pensa que o homem é somente espírito e esse espírito está preso num corpo. Assim, de acordo com esta doutrina errada, eu sou meu espírito, mas eu apenas tenho um corpo : não sou o meu corpo! Quando morremos, o espírito desencarna e o corpo vai para o lixo, como uma roupa velha! Tal doutrina é absolutamente incompatível com o ensinamento de Cristo! O Senhor Jesus prometeu que nos ressuscitará em todo o nosso ser - corpo e alma. Seremos completamente glorificados, como o foi o Senhor Jesus! Portanto, podemos afirmar que a esperança dos cristãos é a ressurreição da carne (= do homem todo, apesar de frágil)! Quem professa a reencarnação nega a ressurreição e já não é católico nem cristão!

Artigos Relacionados:

relatedArticles
 

Fornecido por Joomla!. Designed by: Joomla 1.5 Template, database terminology. Valid XHTML and CSS.